A vida depois do aborto espontâneo

Em Família

Apesar de ainda ser um tabu, o aborto espontâneo é comum e é um assunto que precisa ser discutido. Uma gravidez, mesmo que não planejada, provoca muitas mudanças e reações no corpo da mulher. A mãe e o bebê desenvolvem uma intimidade única e que cresce ao longo dos meses. Descobrir que há algum problema com o bebê ou a gravidez em si é um choque para os pais. Caso aconteça o aborto espontâneo ou o filho não sobreviva ao parto é natural que haja um período de luto e bastante sofrimento.

É um processo dolorido mas necessário. Separamos alguns tópicos que esperamos que sejam úteis para você que está enfrentando esta situação.

Se você for o pai… Muitas vezes o homem tende a se afundar no trabalho e se afastar enquanto passa por um momento de sofrimento. Lembre-se: a mãe é a primeira a criar laços com o bebê e, portanto, é a que mais sofre com a sua perda precoce. Entenda, apoie e mostre para ela que ela pode contar com a sua compreensão e amor.
Se você for a mãe… Resista ao desejo de se afastar do seu marido. Ele está sofrendo, assim como você. Por mais que a mãe sinta o impacto de maneira mais intensa, o pai também sofre a dor da perda. Separados vocês vão sofrer ainda mais. Juntos poderão superar melhor este momento difícil.

Entenda a importância do luto

Se por um lado você não deve se entregar à dor, ignorar a necessidade deste luto é igualmente errado. Tudo bem ficar triste e chorar. Você perdeu alguém muito importante, um sonho foi interrompido. Não force a barra – entenda que é importante dar vazão à dor.

A mãe não é culpada

Segundo dados divulgados em reportagem pelo G1, até a 22a semana o aborto espontâneo atinge até 20% das gestações. Colocar a culpa no pai ou na mãe não é a solução. Procure entender melhor o que aconteceu de maneira racional e aprenda o que isso pode influenciar no futuro.

Superar não significa esquecer

Você precisa superar o luto e voltar à rotina e à vida cotidiana. Isto não significa que você esqueceu o seu filho ou que ele não é mais importante para você. O seu bebê sempre terá um espaço importante em sua vida – que continua. Não se sinta culpada ou culpado por continuar vivendo.

Procure ajuda!

Vocês dois não precisam passar por isso sozinhos. Uma ajuda profissional pode ser muito valiosa para a mãe, o pai e o casal em si. Vença os preconceitos (se você tiver, é claro) e procure um psicólogo. Caso vocês já tiverem comprado roupas e outras coisas, peça ajuda de algum amigo para se desfazer – tudo a seu tempo, é claro.

Não se apresse para ter o próximo bebê

Algumas pessoas dirão coisas como “ah, logo vocês terão outro bebê”, talvez na melhor das intenções. Muitas vezes, na pressa de conseguir esquecer a perda, muitos pais anseiam logo ter outro filho. Primeiro feche um ciclo antes de começar outro. Não precisa ter pressa para engravidar novamente. Ouça o seu corpo, entenda o seu momento e dê um passo de cada vez.

Atividades para Crianças
Atividades para Crianças
Atividades para Crianças