Febre amarela: como proteger meu filho?

Crianças
Febre Amarela

Com mais de 700 casos confirmados em um ano, a febre amarela é uma das doenças que mais preocupam no país atualmente.

Recentemente, a OMS, Organização Mundial da Saúde, declarou estado de emergência da doença no estado de São Paulo, já que desde o início de 2018, foram confirmados 16 casos de febre amarela.

Enfim, o que é essa doença?

Causada por um vírus e transmitida por mosquitos, a febre amarela é uma doença infecciosa que recebe o nome por causa da cor amarela do corpo.

Ela é considerada perigosa por ser aguda e hemorrágica.

  • Como eu pego essa doença?

A transmissão do vírus pode ocorrer de duas formas: febre amarela urbana, quando é transmitida pelo Aedes aegypti e atinge diretamente as pessoas; ou febre amarela silvestre, quando a transmissão é feita pelo Haemagogus e Sabethe e atinge, principalmente, os macacos.

Importante ressaltar que os macacos não podem transmitir a doença para as pessoas, apenas os mosquitos, que picam o macaco infectado e passa para o humano, criando um ciclo de transmissão.

Comum na América do Sul e África, no Brasil, o vírus era considerado erradicado desde 1942, entretanto um salto no número de casos no segundo semestre levou a população a procurar medidas preventivas.

  • Sintomas

febre amarelaA febre amarela pode ter sintomas leves ou graves, o que depende do sistema imunológico da pessoa.

Os principais sintomas são calafrios, cansaço, dor de cabeça e muscular, febre alta, náuseas e vômitos por cerca de três dias. Estes sintomas podem ser confundidos com diversas outras doenças, inclusive dengue.

Os sintomas graves insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e até causar morte.

Em crianças, os sintomas são similares aos adultos, por isso, é preciso atenção para não confundir a febre amarela com outras doenças.

febre amarela

  • Tratamento

Mesmo que não exista um tratamento específico contra febre amarela, é necessário buscar ajuda médica imediatamente para evitar uma piora no quadro, como hemorragias.

Durante a gravidez, a imunidade da mulher é afetada, o que pode agravar o quadro – além de ser perigoso transmitir a doença para o feto.

febre amarelaPor não ter o sistema imunológico completamente formado, as crianças devem ser observadas com cuidado, assim como grávidas, que podem acabar transmitindo a doença para o feto.

A melhor forma de prevenir a doença, a vacinação é indicada. Entretanto, fique atento as doses:

De 6 meses a 9 meses de idade: para bebês, a vacina é indicada apenas em situações de emergência e epidemia ou viagens para locais de risco, como indica a OMS, lembrando que em situação de viagens, a vacina deve ser tomada com 10 dias de antecedência.

De 9 meses até 5 anos: para crianças desta idade, é indicado uma dose aos 9 meses de idade e um reforço aos 4 anos.

A partir dos 5 anos: se a criança já recebeu uma dose, o reforço é importante. Se ela não foi vacinada, é necessário tomar uma dose inicial e um reforço 10 anos depois.

Somente em casos epidêmicos, a criança pode ser vacinada aos 6 meses de idade.

Também é indicado o uso de repelentes para afastar o mosquito, o transmissor da doença, entretanto, o repelente é contraindicado em crianças menores de seis meses.

Quer saber mais sobre sua saúde acesse o Portal Oito Atitudes aqui.

Atividades para Crianças
Atividades para Crianças
Atividades para Crianças